Crowdsourcing e Crowdfunding: o que são e como funcionam?

Como ampliar meu negócio através do crowdsourcing e crowdfunding?

Avaliação
4.0

Publicado em 21/07/2020 | Atualizado em 21/07/2020

Imagem do Topo
Cooperação

Embora os termos crowdsourcing e crowdfunding soem similares, suas motivações e modos de operação são diferentes. Contudo, ambos podem ser considerados, igualmente, formas de cooperação entre empresas ou entre clientes e empresas.

Trazendo as palavras "crowd", que, em inglês, significa "multidão", e "outsourcing", que significa terceirização, o termo crowdsourcing é a reunião de pessoas com conhecimento acerca de determinado assunto para melhorar produtos e serviços, através de um processo colaborativo de soluções. 

O conceito, e sua aplicação, surgiram em 2006, e fazem muito sucesso na área de tecnologia. Empresas como Google e Netflix já utilizaram o crowdsourcing para o desenvolvimento de programas de código. Até a NASA já se utilizou do modelo de produção coletiva e voluntária para encontrar soluções de baixo custo.

Para as pequenas empresas, o crowdsourcing pode ser útil na união de ideias que resolvem lacunas específicas do negócio e que, ao mesmo tempo, são caras demais para serem contratadas. Novos conhecimentos a baixo custo, em um curto espaço de tempo, e para lançar novos produtos e serviços são alguns dos fiéis da balança que pendem pelo crowdsourcing.

Além disso, através desse modelo, a possibilidade de inovação é permanente. Com várias mentes pensando sobre as questões internas e externas de uma empresa, e trocando conhecimento entre si, as chances de encontrar saídas excepcionalmente inovadoras crescem demasiadamente.

Já o crowdfunding é o financiamento coletivo de produtos e serviços. Diferentemente do crowdsourcing, o crowdfunding busca investimentos em cotas baixas para que determinada ação seja possível, recompensando os colaboradores com o produto trabalhado ou outras formas.

Ambos os conceitos podem ajudar os empreendedores a testar produtos iniciais, fazer o MVP, ou Mínimo Produto Viável, e pesquisar mercado.

Portanto, crowdsourcing e crowdfunding são processos que apoiam o empreendedor a gerir a sua empresa através da troca de conhecimento e do feedback externo.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO CROWDSOURCING

📌A primeira delas é o senso de multidão: é preciso pensar que o crowdfunding só vai funcionar se inúmeras pessoas estiverem unidas para resolver um determinado problema, independentemente de estarem, ou não, juntas em um lugar específico.

📌Uma maratona de desenvolvimento em um ginásio esportivo ou em uma plataforma digital, por exemplo, pode ser considerada um crowdsourcing, mas um grupo de pessoas dentro de um escritório, fazendo uma reunião para resolver um problema pontual, é apenas um brainstorming, ou seja, uma reunião interna com a finalidade de solucionar uma questão passageira; não se trata de um crowdsourcing.

Outras características comuns do Crowdsourcing são:

📌 A possibilidade de obter informações sobre produtos e serviços antes mesmo de eles serem lançados;

📌 A capacidade de encontrar previamente falhas em sistemas que serão disponibilizados ao consumidor em breve;

📌 O teste rápido, barato e eficaz de novos produtos e serviços.

Vantagens e desvantagens do Crowdsourcing

Vantagens

📌 Menor custo operacional;

📌 Redução de burocracia e processos lentos;

📌 Possibilidade de o trabalho ser realizado longe da sede ou remotamente;

📌 Reunião dos melhores profissionais para cada problema a ser solucionado;

📌Ganhos financeiros para quem participa de crowdsourcing remunerado.

Desvantagens

📌 Qualidade do trabalho nem sempre é a esperada;

📌Pode haver falta de comprometimento dos participantes se o processo for voluntário ou sem regras claras para participação;

📌 Nem sempre a solução é encontrada.

DICAS PARA SUCESSO DO CROWDSOURCING

Com esse processo é possível obter inovações com custo bem reduzido, além de desenvolver produtos e serviços que estejam mais maduros para serem direcionados ao consumidor final. Portanto, trata-se de uma possibilidade real de melhoria da empresa, desde que o crowdsourcing seja feito com responsabilidade e atenção.

Veja as principais ações para o sucesso do crowdsourcing:

📌Engaje as pessoas para a participação, seja através de reconhecimento financeiro ou profissional;

📌 Dê aos participantes estrutura de trabalho. Se o processo vai demorar dias, coloque seus canais à disposição para que a comunicação possa ser rápida  não prejudicando a realilzação das etapas acordadas;

📌Se for uma maratona de desenvolvimento, também conhecida como hackaton, em estrutura física, é importante disponibilizar um ambiente agradável para a permanência das equipes e que estímule a criatividade;

📌 Contrate ou tenha um bom profissional para a coordenação do processo. Lembre-se que estamos falando de conduzir grupos grandes e que isso exige alguém que possa liderar os times envolvidos, engajar as pessoas e, principalmente, organizar as etapas que vem pela frente;

📌 Por fim, crie metas e objetivos claros para o crowdsourcing que pretende fazer. Tudo o que envolve pessoas, motivação e ideias precisa servir a algo, ou alguém, que crie o ambiente propício ao florescer de soluções. Metas e objetivos claros vão mostrar aos envolvidos no projeto de onde você está saindo e onde, realmente, quer chegar.

PASSO A PASSO PARA INCORPORAR O CROWDSOURCING NO EMPREENDIMENTO

Um processo como esse demanda organização interna e abertura das equipes para a colaboração de profissionais externos, o que pode levar algum tempo. Portanto, por mais que o crowdsourcing possa significar maratonas de resolução, não deve ser feito na pressa.

Existem três passos básicos para incorporá-lo à empresa:

📌 O primeiro é definir o que é e o que quer a empresa, de maneira clara e objetiva. Só há sucesso em crowdsourcing para empresas que tenham identidade e possam entender sua própria personalidade, até para conhecer os limites onde quer chegar. Esse conhecimento dá à empresa vantagem competitiva dentro do crowdsourcing;

📌 O segundo passo é identificar as áreas que possam precisar dessa ajuda externa, e levantar quais são as necessidades específicas de cada uma delas, e como um processo de crowdfunding poderia ser benéfico dentro desses termos;

📌 O terceiro passo diz respeito ao convite para o crowdsourcing em si. Se você está seguro de que a empresa tem uma identidade clara, e viu onde as pessoas podem ajudar efetivamente a buscar soluções, é hora de fazer o convite para os profissionais do mercado, qualificados,  para resolver as questões identificadas.

Finalmente é muito importante fazer todo processo pela internet, já que a maioria dos profissionais com possível interesse está linkada nas redes sociais - inclusive no LinkedIn, que é a rede social "para trabalho e carreira".

QUAIS OS PRINCIPAIS CUIDADOS QUE O EMPREENDEDOR DEVE TER PARA ENTRAR NO CROWDSOURCING?

Por mais encantador que possa parecer - e ser -, o crowdsourcing deve ser aplicado com parcimônia para que o feitiço não se vire contra o feiticeiro na hora de buscar ajuda externa para problemas internos.

O principal cuidado que o empreendedor deve ter é o de não ferir egos de participantes da equipe. É preciso deixar claro que o processo não é implementado como falta de capacidade de quem já faz parte da empresa, mas sim porque está além das possibilidades atuais do conjunto e que novas ideias  podem contribuir com as que já estão presentes.

Assim, é necessário deixar o caminho aberto e livre para a troca de experiências amigáveis entre quem já faz a empresa girar e quem está chegando agora, e só por algum tempo, para melhorar aspectos do negócio. Nesse tópico, é importante lembrar que não devemos menosprezar a ideia dos outros, já que todos são convidados justamente para trocar pensamentos e sugestões.

Alinhado a isso, não deixe que a equipe interna se descuide das próprias soluções, e que esteja à frente das decisões apresentadas nas ideias que vem de fora. Faça brainstormings de acompanhamento do projeto para entender como levar as boas sugestões para frente.

QUAIS SÃO E COMO FUNCIONAM AS PLATAFORMAS DE CROWDFUNDING NO BRASIL?

Do lado oposto do crowdsourcing, temos o crowdfunding, que é o "financiamento pela multidão".

Em outras palavras, trata-se do investimento do público através de pequenas cotas de participação. Geralmente, funciona assim: a empresa ou pessoa física lança uma ideia de produto ou serviço, e chama o público para financiá-lo.

As cotas têm valores diferentes entre si e cada uma delas vem com uma série de recompensas relacionadas ao produto ou serviço lançado. Quanto maior a participação financeira do cliente, maiores são suas recompensas.

No Brasil, existem dezenas de plataformas de crowdfunding, sendo as principais delas são:

📌 Catarse,

📌 Queremos,

📌 Benfeitoria,

📌 Kickante

Ainda que cada uma delas tenha uma especificidade de funcionamento, o princípio é o mesmo para todas: a empresa ou pessoa física faz um site do projeto, em que precisa contar o que ele é, como vai funcionar, quando ficará pronto e de quanto dinheiro precisa.

A meta financeira é estabelecida junto a uma meta temporal, dizendo em quantos dias ou meses a campanha de financiamento estará no ar.

Nessa plataforma, as pessoas interessadas podem contribuir com os valores pré-estabelecidos pelo projetista, ou qualquer outro valor que queira, respeitando o sistema das recompensas.

Para cada valor pré-estabelecido, é listado uma série de "presentes" que o colaborador ganha pelo financiamento. 

Ao final da campanha, se a meta financeira tiver sido alcançada, o valor arrecadado vai para a empresa ou pessoa física que o idealizou. Se não tiver sido batida, e o modelo do financiamento for "tudo ou nada", ou seja, toda a meta ou nenhum projeto, o dinheiro é estornado a todos os colaboradores.

No caso da meta alcançada, a plataforma fica com um percentual sobre o montante arrecadado, que pode variar de 3% a 20%.

Vale lembrar que, no caso de campanhas que não sejam "tudo ou nada", se a empresa ou pessoa que projeta o financiamento decide levá-lo à cabo com o montante arrecadado, tem a responsabilidade de fazê-lo dentro dos prazos estipulados no próprio projeto.

A defesa antifraude desse tipo de plataforma está na reputação das empresas e pessoas que fazem os projetos. Quando as recompensas não são entregues aos apoiadores, os projetistas são procurados pelas plataformas e expostos. Contudo, como o princípio do crowdfunding é a confiança, as pessoas que participam dessas plataformas se apoiam nisso para fazer a engrenagem dar certo.

Vantagens e desvantagens do crowdfunding:

Vantagens

📌 Criar uma base de apoio que financie e divulgue o projeto;

📌 Risco mínimo de investimento em novos projetos, já que o financiamento vem antes de sua execução;

📌 Possibilidade de divulgação dos produtos e serviços em grande escala;

📌Alcance de novos públicos, através da exposição dos projetos pela própria plataforma;

📌Investimentos mínimos de alcance de toda a população. Na maioria das plataformas, o financiamento pode começar por R$1 ou R$5, já ganhando recompensas.

Desvantagens

📌 É um processo que demanda muita atenção em comunicação para poder dar certo;

📌 Projetos que necessitem de grandes valores podem não conseguir financiá-los pelas plataformas;

📌 As verbas são mais eficazes em projetos pontuais, e a médio e/ou longo prazo podem não ser o suficiente;

📌 Exposição do projeto pode gerar risco de cópia.

BENEFÍCIOS DO CROWDFUNDING PARA O NEGÓCIO

Quando você lança um projeto em crowdfunding, está na fase inicial de sua execução. Ao expô-lo, consegue ver o interesse do público quanto a ele, testando sua comprovação de mercado.

Digamos que as funcionalidades do produto ou serviço lançado não pareçam claras e, assim, não angariam verba com facilidade. Ou, simplesmente, que não haja demanda para ele. Nesses dois casos, você consegue comprovar a viabilidade do projeto através do crowdfunding, sem precisar ter investido antes.

Outro benefício desse modelo de financiamento é a produção sob encomenda: o número de apoiadores é o mínimo que precisará ser recompensado, então você já sabe, por baixo, quantas unidades do produto precisarão ser produzidas para atender à demanda inicial. Assim, ajusta-se o orçamento para essa finalidade.

Com a popularidade das plataformas de crowdfunding, produtos e serviços que estejam sendo financiadas por elas ganham mais visibilidade, inclusive de públicos ao qual a empresa ou pessoa física não chegariam de imediato.

Como os sites são baseados no princípio da confiança entre aspartes, os consumidores também se sentem mais à vontade para dar feedback aos projetistas sobre o produto ou serviço e/ou a comunicação de seus objetivos.

A diminuição da burocracia é um benefício a se destacar: o projeto vai ter visibilidade, as pessoas podem contribuir, se quiserem, e a plataforma fica com um percentual de administração - avisada em contrato antes de a página do projeto ser montada -, entregando o restante do valor na conta bancária sugerida pelo projetista. As taxas de juros desse tipo de financiamento são, basicamente, as que se paga pelo uso da plataforma, e são bem menores do que as atreladas a um financiamento bancário, por exemplo.

ATENÇÃO

De maneira geral, qualquer projeto que tenha uma meta mínima de arrecadação definida pode fazer um crowdfunding. O desafio é ter recompensas legais para engajar o público e fazê-lo contribuir com a causa. Não é preciso ter nenhuma comprovação de que o projeto esteja sendo feito ou tenha atingido alguma etapa de evolução antes do financiamento coletivo. Ele pode ser apenas uma ideia. O esforço do empreendedor estará em comunicar aos consumidores o valor de execução dessa ideia.

EM QUE CASOS SERIA MELHOR RECORRER A OUTRAS FONTES DE FINANCIAMENTO?

A maior parte dos projetos ativos hoje nas plataformas brasileiras de crowdfunding querem arrecadar dinheiro para um objetivo específico. Geralmente são baratos e não precisamde mais de R$30 mil para tornar-se realidade. Algumas exceções fogem à regra mas, quanto maior for a meta financeira, mais trabalho os idealizadores do projeto terão.

Em alguns casos é necessário o levantamento de muitos milhares ou milhões de reais para um projeto, assim sendo pode ser mais viável a busca de recursos  em um banco ou através de venture capital, ou fundo de investidores.

Outras razões para se procurar um banco, e não uma plataforma de crowdfunding, são:

📌O financiamento buscado visa sustentar a empresa por longos meses de desenvolvimento, e não apenas lançar um produto pontual;

📌O produto a ser lançado é extremamente estratégico, e seu sigilo é indispensável para o sucesso da produção;

📌 A rede de contatos que o empreendedor tem não é o suficiente para arrecadar todo o dinheiro;

📌A empresa tem um bom modelo de negócios e pode apresentá-lo a investidores.

Sendo mais claro, projetos de pequeno porte são sempre uma boa pedida para o financiamento coletivo. Projetos de médio porte precisam avaliar seus riscos e metas antes de fazer a tentativa e projetos de grande porte podem ter mais sucesso procurando empréstimo de bancos ou investidores.

Se a solução, então, é procurar por eles, eis aqui um termo do qual o empreendedor precisa ter pleno conhecimento: equity crowdfunding. Trata-se da prática dos investidores em injetar dinheiro em empresas ascendentes, via internet.

Nesse caso, a principal diferença entre o crowdfunding convencional é que o equity lida com valores muito maiores - e os investidores, ao invés de receber recompensas de acordo com suas contribuições, recebem cotas de participação da empresa que se abre ao E.C. (equity crowdfunding).

O retorno para o investidor pode se dar através da venda da participação na empresa ascendente depois que ela tenha seu valor de mercado multiplicado, ou através de dividendos pagos pela própria empresa financiada. A atividade é legal e permitida pela Comissão de Valores Imobiliários.

MELHORES ESTRATÉGIAS PARA QUE OS PROJETOS TENHAM SUCESSO NAS PLATAFORMAS DE CROWDFUNDING

Não há um planejamento de sucesso específico nas plataformas de crowdfunding. Muitos projetistas terão uma ideia incrível que não vai vingar, enquanto outros podem ter sugestões modestas que vão arrecadar o dinheiro esperado.

Assim, as melhores estratégias para o sucesso dos projetos nas plataformas de crowdfunding versam sobre:

📌 A paixão do empreendedor pela sua ideia;

📌 A importância do projeto;

📌 Seu poder de convencimento sobre isso;

📌 O planejamento de execução da campanha - avisar aos colaboradores de cada etapa concluída é essencial;

📌 Uma boa rede de contatos;

📌 Uma série de recompensas interessantes.

De todos esses itens, a importância do projeto, as recompensas e a boa rede de contatos é crucial para que as metas sejam alcançadas.

É preciso, também, tomar alguns cuidados na hora de colocar o plano do financiamento coletivo em prática, como o de escolher uma boa plataforma, ter um excelente plano de comunicação e conversar ativamente com os colaboradores do projeto, via e-mail, enquanto o financiamento ainda está no ar. Uma das melhores formas de aumentar a rede de contatos é conquistar quem já está dentro dela. Assim, os próprios apoiadores se tornam publicitários do seu projeto.

É muito importante fazer operações sem realizar spam, que é o envio de e-mails e mensagens genéricos, sem valor para o usuário, que enchem sua caixa de entrada e geram a frustração da perda de tempo nas pessoas que os recebem.

Tenha atenção diária com o seu projeto para rever as estratégias de comunicação ao longo da campanha. Ela é geralmente curta e precisa do engajamento da equipe que a idealizou por todo o processo, para que não perca força em momentos importantes de arrecadação.

CONSEGUI O FINANCIAMENTO COLETIVO. E AGORA?

Agora é a hora em que o empreendedor responsável para, reflete e conclui que conseguir o financiamento foi a parte inicial do processo. É hora de colocar o projeto em prática e recompensar os colaboradores da maneira prometida.

Até que o produto ou serviço fique pronto e seja entregue, não deixe de atualizar seus contribuintes com o avanço do projeto e dá-los motivos para se orgulhar do que ajudaram a construir. Deixe seus canais de comunicação sempre abertos a perguntas e sugestões e faça questão de responder as mensagens uma por uma.

Atente-se, também, aos prazos. Lembre-se que as plataformas de financiamento coletivo lidam com o princípio da confiança e é muito bom ao idealizador do projeto estabelecer confiança ao entregar as recompensas prometidas dentro do prazo estipulado inicialmente. Frente a qualquer imprevisto, avise aos colaboradores com antecedência.

Imagem de um porquinho de dinheiro
Amplindo o negócio através do crowdsourcing e crowdfunding?
Você já ouviu falar de crowdfunding e crowdsourcing? Ambos os conceitos engajam através da coletividade e podem ajudar a sua empresa a crescer mais rápido.
Arquivo de vídeo

Aos poucos, mais e mais empreendedores descobrem as possibilidades de impulsionar suas das ideias com a participação de pessoas interessadas em contribuir com seus projetos através da colaboração técnica ou investimento financeiro. Estas ações podem ser realizadas através de modelos de cooperação conhecidas como crowdsourcing e crowdfunding.

Acesse os conteúdos desenvolvidos pelo Sebrae e sucesso!